Av Goiás, 1547 - Centro
Matriz
Cianorte - PR
(44) 3631-6744
contato@ciatintas.com.br

Tudo o que precisa saber sobre tintas e pinturas

Tudo o que precisa saber sobre tintas e pinturas

Tudo o que você precisa saber sobre tintas e pinturas

Tintas e pincéis de qualidade, um excelente planejamento e preparação, a execução correta e as recomendações para cuidar das paredes após a pintura, são todos elementos importantes para assegurar uma cor que perdure. Reunimos as melhores dicas sobre pintura para que possa pôr mãos à obra sem receio.

Mais caro, mais qualidade. Embora mais caras, no que toca à pintura, opte sempre por tintas da melhor qualidade possível – uma vez que contêm uma percentagem mais elevada de dióxido de titânio, a sua aplicação é mais suave, respinga menos, revela-se mais resistente a marcas e desbotamentos, sendo naturalmente, mais durável. As tintas mais econômicas obrigam a pinturas mais frequentes e acaba por gastar o mesmo valor, mas com mais trabalho e menos qualidade.

Descubra as diferenças. As tintas diferem muito em termos de lustro, ou seja, a intensidade do brilho e, quanto mais brilhante, mais resistente será a tinta quando confrontada com nódoas, marcas e limpezas. Para além de depender do gosto pessoal de cada um, a escolha do lustro obedece ainda a algumas importantes diretrizes:

  • Tinta mate: maioritariamente utilizada para tetos, mas também para quartos, salas de estar, halls de entrada e corredores, não é a melhor opção para espaços com muita movimentação.
  • Tinta casca de ovo: é recomendada para os quartos das crianças, salas de jantar e outras divisões cujas paredes necessitarão de limpezas mais frequentes.
  • Tinta acetinada ou semi-gloss: muito mais brilhante do que as anteriores, é mais fácil de limpar e lavar, sendo a ideal para a cozinha e casa de banho.
  • Tinta high-gloss: a mais brilhante de todas, evidencia todas as imperfeições, por isso, é mais indicada para pequenas áreas, caso dos armários, portas, aros e molduras.

Escolha acertada. Escolher e combinar as cores exige cuidado, por isso, nunca é demais relembrar que as tonalidades mais claras tornam as divisões mais frescas e espaçosas, enquanto as tonalidades mais escuras tornam as divisões mais pequenas e aconchegantes. Informe-se sobre os simbolismos das cores e dos efeitos que podem ter num determinado espaço e nas pessoas que nele habitam antes de escolher a paleta. Nunca descure a luz natural e artificial da divisão que vai pintar, testando as cores eleitas em pequenos blocos da parede, observando como se apresentam de dia, de noite e com a restante decoração, antes de pintar a divisão na totalidade.

A preparação. Quanto mais limpa, seca e uniforme uma parede, melhor a tinta vai aderir, por isso, antes de iniciar qualquer projeto de pintura é importante que verifique o estado das paredes, eliminando quaisquer lascas de tinta seca, tapando buracos e fissuras antes de lixar ou lavar as paredes. Retire da divisão ou tape toda a mobília ou peças decorativas que possam incomodar ou serem prejudicadas durante a pintura e cubra o chão com telas de plástico adequadas. Aproveite ainda para colar fita isoladora nos locais que não vão ser pintados ou que serão pintados noutra cor (caso das tomadas, rodapés ou espelhos, por exemplo). Completado esse processo, aplique um primário – uma tinta base que não só protege as superfícies a pintar, como facilita a aderência de todas as camadas de tinta seguintes.

Equipamento adequado. Em termos de pincéis existem dois tipos principais – com cerdas naturais (mais indicado para tintas sintéticas e à base de óleo) e com cerdas sintéticas (recomendado exclusivamente para tintas à base de látex). Os pincéis de parede (com uma largura de 7-10 cm) são, tal como o nome indica, as ideais para as paredes; existindo ainda aqueles adequados para áreas mais pequenas (com uma largura de 6-7 cm) e detalhadas (com uma largura de 3-4 cm). Os rolos são outra ferramenta indispensável para uma pintura mais fácil e, existindo rolos sintéticos e naturais, segue o mesmo critério dos pincéis no que toca ao tipo de tinta mais adequado. Para assegurar a qualidade do rolo, na hora da aquisição aperte o rolo com força, se voltar imediatamente à sua forma original é de boa qualidade, caso contrário, escolha outro modelo. Junte aos pincéis e rolos, um extensor para o teto (adaptável ao rolo) e tabuleiros para a tinta.

Mãos à tinta. Comece sempre por pintar de fora para dentro, ou seja, estreie sempre uma lata de tinta nas pontas da superfície a pintar, terminando na zona central. Porquê? Infelizmente, podem existir pequenas variações de cor de uma lata para a outra (mesmo sendo iguais) e, se tiver esse “azar”, será muito mais imperceptível nas pontas de uma parede, por exemplo, do que no seu centro. Deve começar pelo teto, seguido das paredes e, só no final, as janelas, portas ou respectivas molduras. A partir daí é pintar uniformemente, com movimentos verticais o mais parecido possível. Tenha sempre consigo um pano suave, para rapidamente limpar qualquer excesso de tinta.

O processo de secagem. Dada a primeira demão, a vontade é de dar logo a segunda para terminar rapidamente a pintura e poder admirar o seu mais recente projeto decorativo, no entanto, há que ter alguma paciência e deixar secar muito bem a tinta entre as várias demãos. Caso contrário, uma segunda demão prematura pode levantar por completo a primeira camada de tinta, o que significa começar tudo de novo! Aplicadas todas as camadas necessárias, as superfícies recém-pintadas necessitam de cerca de 30 dias para secarem e adaptarem-se na íntegra, o que significa que durante esse período deve ter especial cuidado com essa zona da casa, evitando qualquer limpeza direta.

Fonte: eudecoro.com